Polícia acredita que mulher foi morta durante festa em Parque de Exposições após briga com namorada de traficante


Os investigadores apontam o mesmo homem como responsável pelo assassinato de outro suposto traficante durante uma disputa por território em Taguatinga. O suspeito está preso por tráfico de drogas desde novembro de 2020. Operação que levou o suspeito a ser preso em novembro de 2020
Dennis Tavares/SSP
A Polícia Civil acredita ter identificado o responsável pela morte de uma jovem no Parque de Exposições de Taguatinga, sudeste do Tocantins, em novembro de 2020. A vítima tinha 29 anos de idade. Para os investigadores, o assassino é um traficante que foi preso alguns dias após o crime, durante a Operação Mãos Amigas, contra o tráfico na região. A motivação do homicídio seria que a jovem tinha discutido com a namorada do suspeito durante uma festa.
Os nomes dos envolvidos não foram divulgados pela Polícia Civil. A mulher foi morta a tiros e foi isso que permitiu a identificação do criminoso. As balas encontradas no corpo dela foram examinadas pela perícia e identificadas como tendo saído de uma arma apreendida com o suspeito quando ele foi preso. O homem tem 27 anos e continua na Casa de Prisão Provisória de Palmas.
Crimes foram em Taguatinga, no sudeste do Tocantins
Divulgação
Os mesmos exames mostraram ainda que a pistola apreendida com ele foi usada no assassinato de outro traficante na região, em outubro de 2020. Neste caso, as suspeitas são reforçadas por mensagens encontradas no celular do homem morto que mostram o suspeito combinando um encontro para comprar drogas. Os policiais acreditam que se tratava de uma disputa de território.
O traficante foi recebido a tiros assim que chegou ao local combinado e um comparsa dele foi baleado. Na cena do crime, foi encontrado o celular com as mensagens e um tablete de maconha. O homem que sobreviveu ao confronto reconheceu o suspeito.
Os casos vinham sendo investigados pela 103ª Delegacia de Taguatinga. Os inquéritos foram concluídos nesta segunda-feira (28) e o homem foi indiciado por dois homicídios e uma tentativa de homicídio. Além disso, por causa da operação que levou a prisão dele, o suspeito vai responder também por tráfico de drogas, associação criminosa, posse irregular de arma de fogo e uso de documento falso. Ele também já era considerado foragido da comarca de Goiânia por tráfico.
A polícia acredita também que o homem era um dos chefes de uma facção criminosa que tenta se instalar e controlar os pontos de venda de drogas em Taguatinga e em cidades vizinhas.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.