Pacientes ficam em corredor do Hospital Geral de Palmas após cirurgias: ‘ainda não trocaram o curativo’


Homem diz que curativos não são feitos há três dias por falta de materiais. Desassistência na unidade se tornou frequente desde que uma reforma foi iniciada em áreas de internação; relembre outros casos. Paciente fica em corredor do HGP após cirurgia e diz que curativo não é feito há 3 dias
O Hospital Geral de Palmas (HGP), maior unidade de saúde pública do Tocantins, continua mantendo pacientes nos corredores. Pessoas internadas no local relatam também que curativos não estão sendo realizados. Um homem que passou por cirurgia na perna, no último domingo (20), disse que ainda não trocou o curativo por falta de materiais e se recupera em um ambiente quente e escuro. As imagens feitas na tarde desta terça-feira (22) mostram que a situação. (Veja o vídeo)
O paciente que não terá o nome divulgado afirma que está sofrendo com a falta de assistência no hospital.
“Ainda não trocaram o curativo da minha perna. Estou aqui no corredor. Nunca ajeitaram um quarto para nós, não sou só eu. Tem um ventilador aqui para ver se melhora o calor. A luz não acende. Fiz a cirurgia domingo e até agora ninguém nunca mais mexeu na minha perna, só estão dando alguns medicamentos. Tenho que botar a perna para o alto, mas não arrumaram nada para colocar”, conta.
A situação se tornou recorrente depois que uma reforma começou a ser realizada em áreas de internação da unidade. Neste período, várias pessoas foram vistas em corredores do hospital. Relembre outros casos ao fim da reportagem
A Secretaria Estadual de Saúde (SES) negou as faltas de medicamentos e insumos na unidade e disse que “não procede a informação da não realização de curativos”. Disse ainda que lamenta os transtornos causados por obras no HGP e que, enquanto as salas não são liberadas, “os pacientes estão sendo acomodados em outros ambientes”. Leia a nota na íntegra abaixo
O vídeo enviado pelo paciente mostra outra pessoa na mesma situação. Por causa da Covid-19 o paciente não pode ter acompanhante. Sem conseguir andar, o homem deixa uma garrafa de água e um copo ao lado da maca. Ele urina em um recipiente e depois pede para alguém descartar no banheiro.
“Não tenho um acompanhante para poder tomar uma água. Não tem um acompanhante para poder me levar no banheiro. Não consigo andar. Aí o que acontece? Tem que mijar numa vasilha para poder levar até o banheiro. Com muita luta alguém leva”, reclamou.
Paciente fica em corredor do HGP após passar por procedimento cirúrgico
Reprodução
O que diz a Secretaria Estadual de Saúde
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que não há faltas de medicamentos e insumos no Hospital Geral de Palmas (HGP) e não procede a informação da não realização de curativos.
A SES lamenta os transtornos devido as obras de reforma e manutenção de setores e destaca que enquanto não são liberados os espaços, os pacientes estão sendo acomodados em outros ambientes.
A SES ressalta que o HGP é uma unidade porta aberta, ou seja, recebe pacientes encaminhados e de livre demanda, para atendimentos no Pronto Socorro, atende urgências, emergências, traumatismos de todo o Estado, e que a Unidade tem operado com alta capacidade.
Situação no HGP
Os flagrantes de pacientes em corredores do HGP se tornaram frequentes desde que uma reforma começou nas salas vermelha e amarela e outros setores da unidade.
Na última quarta-feira (15), após uma sequência de denúncias sobre desassistência na unidade, uma vistoria realizada pelo Ministério Público do Tocantins (MPTO) encontrou várias irregularidades. Além de pacientes em corredores, durante a ação nas alas de ortopedia e neurologia também foi constatada falta de leitos, de macas, materiais e medicamentos.
Pacientes nos corredores do HGP
Reprodução
Sem maca, algumas pessoas vêm recebendo medicação sentadas em cadeiras e outras deitam no chão para não ficar horas em pé. Na última sexta-feira (11) uma pessoa foi medicada no chão do pronto-socorro do HGP. Para evitar o contato direto com o chão alguns pacientes usaram papelões e lençóis para deitar.
Um vídeo feito na unidade mostra que um idoso precisou deitar ao lado de uma lixeira.
Também durante o período da reforma, uma idosa recebeu transfusão de sangue no corredor do HGP e detentos ficaram internados junto com outros pacientes. Também teve o caso de uma mulher de 85 anos ficou deitada em banco em um banco por mais de 20 horas.
Pacientes deitados no chão do maior hospital público do estado
Divulgação
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.