‘Minha felicidade foi embora’, diz pai de jovem morta após receber mensagem do namorado dizendo que queria conversar


Adriana Silva Sales de Souza, de 20 anos, foi assassinada em fevereiro de 2020 e corpo foi encontrado debaixo de ponte. Mário Breno Rodrigues é julgado em Gurupi. Homem acusado de estrangular e matar namorada é julgado um ano depois em Gurupi
“Eu não durmo e estou segurando com medicamentos. Minha felicidade foi embora”. O depoimento é do motorista Raimundo Sales, pai de Adriana Silva Sales de Souza, de 20 anos. A jovem foi assassinada em Gurupi em fevereiro de 2020 e o corpo foi encontrado dias depois debaixo de uma ponte. Investigações apontam que o feminicídio aconteceu após a vítima receber uma mensagem do namorado Mário Breno Rodrigues dizendo que queria conversar. O homem confessou o crime e é julgado nesta quarta-feira (9).
Vestindo camisetas com a foto da vítima, parentes foram para a frente do Fórum de Gurupi. Djane Holanda, tio de Adriana, pediu justiça. “O indivíduo fez um crime bárbaro com ela. Ela deixou uma filhinha de 2 anos. O que nós vamos falar para essa filha? É muito difícil. Nós esperamos justiça e que ele pegue pena máxima”.
Emocionado, o pai de Adriana conta que não conseguiu se recuperar da dor. “Ela era a minha caçula. A minha netinha pergunta: ‘vovô, a mamãe já chegou? Liga para ela vovô’. É uma dor inexplicável. Eu não tenho felicidade”, lamentou.
A mãe de Adriana, Jucilene Silva, mora na Espanha e também espera a condenação do suspeito. Chorando, ela disse que o ano sem a filha foi de tristeza. “É muito duro de aguentar. Espero que a justiça seja feita”, disse.
Adriana Silva Sales de Souza tinha 20 anos e foi encontrada morta
Arquivo pessoal/Facebook
Segundo o Ministério Público do Tocantins (MPTO), a promotoria pediu a condenação de Mário Breno pelos crimes de feminicídio com uso de asfixia e meio cruel, ocultação de cadáver e corrupção de menores, pelo fato de ter solicitado a ajuda do irmão, que na época do crime era adolescente. Veja abaixo detalhes sobre o crime
“A participação do adolescente ficou comprovada. Ele será testemunha hoje aqui, declarante, e ele está submetido aos rigores do Juizado da Infância e do Adolescente porque ele era menor de 18 anos na data dos fatos. Pela nossa legislação brasileira, ele [adolescente] ficará três anos internado e depois estará nas ruas”, explicou o promotor de justiça, Rafael Pinto.
O julgamento começou por volta das 9h no fórum da cidade. Devem ser ouvidas seis testemunhas, três de acusação e as outras convocadas pela defesa.
O advogado de Mário Breno disse que o acusado confessou o crime, mas tenta desqualificar as acusações. “Seria a injusta provocação da vítima antes do fato. Estava sendo vítima de extorsão, de ameaça e perdeu a cabeça depois de praticar o delito”, disse Jorge Barros.
Julgamento está acontecendo em Gurupi
Jairo Santos/TV Anhanguera
O assassinato
As investigações sobre o caso apontaram que Adriana Silva foi morta por asfixia quatro dias antes do corpo ser encontrado. De acordo com o MPTO, na noite do crime Mário Breno Rodrigues Lopes foi até uma área próxima à casa de Adriana enviou mensagem de texto para a vítima falando que queria conversar. O suspeito foi preso durante uma operação da Polícia Civil.
A mulher foi chamada para um caminhão e, ao entrar, foi agarrada no pescoço por um adolescente que estava na parte traseira da cabine. Depois o namorado dela teria se juntado ao menor e amarrado os pulsos e o pescoço da vítima com uma linha de nylon.
O MPTO afirmou que o acusado esfaqueou Adriana nos braços. Como ela estava imobilizada, não conseguiu se defender. “Após os golpes, Mário Breno, com a ajuda do adolescente, passou a asfixiar a vítima utilizando-se das mãos e do cordão já enroscado no pescoço da ofendida, estrangulando-a até a morte”.
Depois do assassinato, o corpo da jovem foi enrolado em um lençol e levado dentro do caminhão até às margens do rio Gurupi, na zona rural do município.
A localização do corpo
Corpo foi encontrado debaixo de ponte em Gurupi
Débora Ciany/TV Anhanguera
O corpo de Adriana Silva Sales foi encontrado no dia 28 de fevereiro de 2020. Antes de ser localizado, a jovem ficou vários dias desaparecida. O caso comoveu amigos e familiares que procuraram informações sobre o paradeiro dela nas redes sociais.
O local onde a vítima foi encontrada fica a aproximadamente oito quilômetros do centro da cidade, em uma estrada vicinal. A Polícia Militar informou que o corpo foi localizado por um trabalhador rural que roçava a pastagem da região. Ele disse que viu um cobertor branco perto de uma cerca e ao se aproximar da ponte sentiu um forte cheiro. O cobertor estava a cerca de 50 metros do cadáver.
O Corpo de Bombeiros foi chamado para fazer o resgate e remoção do corpo, que estava em estado de decomposição. A perícia foi realizada no local e o corpo precisou ser transferido para o IML de Palmas, onde passou por exames e foi identificado.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.