Araras-canindé fazem ninhos no topo de palmeira e trocam carícias no centro de Palmas


O ninho que elas construíram em plena rotatória da avenida Juscelino Kubitschek, uma das principais de Palmas, é apenas um de tantos espalhados pela cidade. Araras encantam moradores de Palmas, mas cuidados devem ser tomados para preservar as aves
No centro de Palmas, em meio ao vai e vem dos carros, araras-canindé sobrevoam a capital e chamam a atenção de moradores. Duas delas construíram um ninho no topo de palmeiras, em uma rotatória da avenida Juscelino Kubitschek, uma das principais da cidade. Um flagrante registrado pela TV Anhanguera mostra um casal de aves na maior tranquilidade e trocando carícias, enquanto as pessoas transitam pelas avenidas.
Encontrar animais silvestres na zona urbana é comum em Palmas. A cidade conserva muitas árvore nativas do cerrado, o que acaba atraindo vários animais e fazendo com que eles permaneçam perto da comunidade.
As araras são um espetáculo à parte. Elas também podem ser vistas nas praças e parques. O canto ecoa pela cidade. As aves costumam andar em grupo, mas para a reprodução, diferente de outras espécies, vivem com o mesmo parceiro a vida toda.
Casal de arara-canindé é flagrado trocando carícias no Tocantins
Reprodução/TV Anhanguera
Elas comem frutos e sementes. É em busca desses alimentos que elas circulam na capital. Biólogos afirmam que as araras são vulneráveis pelas capturas clandestinas. A desova ocorre entre dezembro e maio.
“Tem aí as grandes palmeiras que são ambientes propícios para esses filhotes se desenvolverem e ficarem longe de predadores. Por causa disso, várias pessoas, por acharem esses animais extremamente bonitos, acabam pegando esses filhotes, favorecendo a biopirataria, o que também configura crime ambiental. Apesar desses animais não estarem na lista dos ameaçados de extinção, são animais vulneráveis e que merecem a proteção de todos”, explicou o biólogo Aluísio Vasconcelos.
O ninho que elas construíram em plena rotatória da avenida JK é apenas um de tantos espalhados pela cidade. Esse tipo de arara costuma construir o lar para os filhotes no tronco, onde põe os ovos.
Araras-canindés, nativas da região central do Brasil, vivem tranquilamente na cidade de Palmas-TO
Reprodução/TV Anhanguera
Moradores de Palmas podem encontrar a arara-canindé em vários pontos da cidade
Reprodução/TV Anhanguera
Os filhotes permanecem nos ninhos até a 13ª semana, período em que são alimentados pelos pais.
“A arara-canindé é uma arara típica da região central do Brasil. Ela é inconfundível porque ela tem o ventre, a parte inferior, amarela, e a parte superior, azulada. Então, ela é a única arara com esse padrão de coloração. Se alimenta de sementes, frutos e algumas flores. Sementes, como jatobá; frutos, como puçá, pequi, cajuzinho; e flores, como a do pequi”, disse o doutor em ecologia e professor da UFT, Renato Torres.
No entanto, Renato faz um alerta: para que elas continuem encontrando morada na cidade, é preciso conservação.
“Mas para mantê-las na cidade, é importante que haja alimento disponível para elas. Que tipo de alimento? O alimento que as árvores nativas frutíferas do cerrado ou palmeiras nativas fornecem. É importante que a arborização seja feita, principalmente, com espécies nativas, não apenas para atrair araras, mas uma série de outras aves e outros animais importantes”.
Arara-canindé, nativa da região central do Brasil, vive tranquilamente na cidade de Palmas-TO
Reprodução/TV Anhanguera
Araras sobrevoam cidade de Palmas
Reprodução/TV Anhanguera
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.