Jovens começam vida sexual em média três anos antes que geração dos avós em Palmas, aponta IBGE


Pesquisa identificou que pessoas na faixa etária dos 60 anos começavam a fazer sexo com quase 19 anos enquanto quem tem entre 18 e 29 anos iniciou a vida sexual aos 16 aproximadamente. Início da vida sexual acontece cada vez mais cedo em Palmas
Reprodução/TV TEM
Uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que a vida sexual dos palmenses está começando cada vez mais cedo. A média de idade para a ‘primeira vez’ na cidade é de 17 anos, sendo a segunda mais alta entre as capitais do Norte. Na região, apenas em Belém as pessoas têm a primeira relação sexual mais tarde (aos 17,2).
A queda aparece quando é observado o resultado de cada faixa etária. Entre os entrevistados que atualmente têm mais de 60 anos, o começo da vida sexual foi por volta dos 19 anos (18,9). Já entre as pessoas que hoje têm entre 18 e 29 anos, a primeira relação é em média aos 16 anos (15,9).
Início da vida sexual – Palmas
A pesquisa foi feita pelo IBGE em parceria com o Ministério da Saúde. A coleta de dados foi em 2019, mas os resultados só foram divulgados agora por causa do tempo de totalização da pesquisa. O intervalo de confiança é de 95%;
Os dados também indicam que em Palmas os homens começam a fazer sexo mais cedo que as mulheres. Para o sexo masculino a média de idade para a primeira vez é aos 16 e para as mulheres aos 17,9.
Também foi encontrada variação para o início da vida sexual conforme a etnia. Para pessoas que se declaram brancas, a primeira vez acontece em média aos 17,1. Entre os autodeclarados pardos, a média é idêntica. Já entre aqueles que se declaram pretos a vida sexual começa em média aos 16,5.
Prevenção
Os dados com relação a prevenção em Palmas são preocupantes. Apenas 26% dos participantes da pesquisa afirmaram ter utilizado camisinha em todas as relações sexuais nos 12 meses anteriores a data em que foram entrevistados. É o menor percentual entre as capitais da região Norte, onde a média foi de 33,7% de entrevistados afirmando que sempre utilizam proteção.
Em Palmas, os homens se protegem mais do que as mulheres, sendo que entre eles a proporção dos que afirmam ter usado a caminha em todas as relações do último ano é de 31,2% enquanto entre as mulheres o percentual cai para 20,2%.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.