Bloqueio de UTIs por falta do kit intubação revolta famílias de pacientes que precisam de leitos


Mesmo com leitos vazios, pacientes continuam sem conseguir a vaga por falta de medicamentos. Secretaria de Saúde não tem previsão para que o problema seja resolvido. No Tocantins, 14 leitos UTI Covid continuam bloqueados; entenda
O Tocantins continua, até o começo da noite desta quinta-feira (22) com pelo menos 14 leitos de Unidade de Trapia Intensiva bloqueados por falta de medicamentos para fazer a intubação dos pacientes, o chamado ‘kit intubação’. A situação revolta famílias de pacientes que aguardam por uma vaga do tipo e têm piora n quadro de saúde enquanto os leitos ficam vazios.
Uma dessas pessoas é Gilberto Rodrigues Campos. Ele tem 67 anos e está intubado por conta de complicações da Covid-19 há quase um mês. Segundo a família, durante todo esse tempo, ele ficou internado na sala de estabilização a espera de uma UTI.
“Foi intubado no dia 31 de março de 2021 e transferido para a sala de estabilização do mesmo hospital. E até hoje, dia 22 de abril de 2021, nunca houve uma transferência para um leito de UTI, tão necessário para a situação atual que ele se encontra”, conta o filho dele, Elias Pereira.
O seu Gilberto é um dos pacientes que aguardam por UTI no Tocantins
Reprodução/TV Anhanguera
Desesperados, os parentes procuraram o Ministério Público do Tocantins. No documento, a promotoria pede que a transferência seja feita com urgência, considerando o estado de saúde e a necessidade do leito de UTI para o tratamento do paciente.
A Justiça decidiu que o estado deve providenciar o encaminhamento do paciente para a UTI da rede privada, não sendo admitido a ‘omissão injustificada’, que é quando existem leitos vagos ou quando se faz escolha aleatória de outros pacientes.
“Façam essa transferência do meu pai para um leito de UTI, aumentando assim a chance de melhora, de vida e de retorno para casa. A família está muito triste, muito abatida, muito preocupada com essa situação toda”, completa.
Atualmente a rede de saúde pública do Tocantins conta com 189 leitos de UTI exclusivos para o tratamento da Covid-19, eles estão distribuídos em 11 hospitais, públicos ou privados com convênios com o Estado.
Segundo o Portal Integra da Secretaria de Saúde do Estado, até o começo da noite da quinta-feira (22), entre os 14 leitos bloqueados, sete estão Hospital Santa Thereza, em Palmas, que é particular, mas que tem 20 leitos contratados pelo governo para atendimento exclusivo do SUS. Os outros sete são no Hospital Regional de Gurupi. Segundo o Instituto que administra essas unidades, faltam medicamentos.
“Mesmo com todas as ações para racionar o uso e redução do consumo, infelizmente chegou em um momento em que a falta de insumos é nacional. Você não consegue encontrar em vários hospitais públicos, privados, distribuidoras, indústrias que produzem o medicamento”, diz Vinicius Menezes, gestor de assistência e qualidade do Isac.
Leitos de UTI no Hospital Regional de Gurupi
Esequias Araújo/Governo do Tocantins/Divulgação
A Secretaria Estadual da Saúde disse que entrou em contato com as empresas terceirizadas na busca pelos insumos. Na quarta-feira (21) o Hospital Geral de Palmas tinha um leito bloqueado e o Municipal de Campanha de Araguaína outros dois, esses leitos já foram reativados. Para a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), é dever do estado manter os leitos funcionando.
“Nós temos que abrir leitos para poder acolher as pessoas, mas isso tem um limite. E tá claro que este limite já foi extrapolado. Porque tá claro que esse limite foi extrapolado? Tão faltando insumos, tão faltando profissionais e isso é um indício inequívoco de que o aumento de leitos foi acima da capacidade que o sistema pode suportar”, diz Ederlon Rezende, que é membro do conselho da Amib.
O que diz a SES
A Secretaria de Estado da Saúde reafirmou que o bloqueio de leitos de UTI foi necessário por causa da baixa nos estoques de kits de intubação, suficientes apenas para atender os pacientes que já estão internados. A secretaria também disse que abriu processo de compra de mais medicamentos e insumos. Sobre os 14 leitos que continuam bloqueados, não há previsão para que sejam liberados. Sobre o caso do seu Gilberto, a SES disse que ele está na fila de regulação e que assim que surgir uma vaga será transferido, mas não deu um prazo.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.