Ministério da Saúde confirma quatro casos da variante do Amazonas em pacientes do Tocantins


Não foram encontrados, até o último boletim epidemiológico do Ministério, casos das variantes britânica ou sul-africana do coronavírus. Nova variante foi confirmada em quatro pacientes no Tocantins
JN
O último boletim do Ministério da Saúde sobre a pandemia de Covid-19, que cobre a semana epidemiológica entre os dias 4 e 10 de abril, aponta que o Tocantins tem quatro pacientes com casos de novas variantes do coronavírus confirmados. Em todos os casos, a variante encontrada é a P1, identificada primeiro no Amazonas. Não há casos das variantes britânica ou sul-africana do vírus no estado.
O Governo do Tocantins já tinha confirmado um caso desta mesma variante em fevereiro. Na época, o paciente era um dos que foram transferidos de Manaus (AM) para Palmas quando o sistema de saúde do Amazonas entrou em colapso. Por esse motivo, foi considerado um caso importado, sem transmissão local.
Mutação, variante, cepa e linhagem: entenda o que significam os termos ligados à evolução do coronavírus
O G1 procurou a Secretaria de Saúde do Tocantins para saber se os casos identificados pelo Ministério da Saúde são de transmissão local ou importados e qual o tipo de acompanhamento está sendo realizado e aguarda retorno.
Quando houve a primeira confirmação, a própria SES tinha informado que estava analisando amostras de outros pacientes que vieram de Manaus para o Tocantins e também de funcionários do Hospital Regional de Porto Nacional.
No caso dos pacientes manauaras, a investigação era parte do protocolo sanitário para o tratamento deles. Já em Porto Nacional, o que chamou a atenção foi um surto da doença de rápida transmissão entre os servidores, o que levantou a possibilidade de uma variante do vírus. Os resultados destes exames ainda não foram divulgados.
Em todo o país, no mesmo boletim epidemiológico do Ministério, foram confirmados 1.925 casos de variantes do coronavírus, sendo que em 1.851 casos a variante identificada é a P1, do Amazonas. Os maiores números de casos do tipo são no própria Amazonas, com 687 casos e no Rio de Janeiro, com 159 casos.
Em março, uma pesquisa feita pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) encontrou seis linhagens diferentes do vírus SARS-CoV-2. O estudo foi feito a partir das coletas aleatórias realizadas em fevereiro para medir o nível de infecção entre os moradores. Entre as seis sequencias genéticas encontradas, duas são da variante que surgiu no Amazonas.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.