Lago Paranoá: pirarucus podem causar danos ambientais

Na última semana, um vídeo de um peixe, da espécie pirarucu, no Lago Paranoá de Brasília movimentou as redes sociais. Alguns achavam que as imagens não eram verdadeiras, outros acreditam que eram reais.

Desde 2015, há relatos de pescadores que afirmam já terem visto mais exemplares da espécie no mesmo lago. No vídeo, o pirarucu aparece próximo à superfície, na margem do Deck Norte. Confira.

O pirarucu é o maior peixe de água doce do mundo. Nativa da Amazônia, a espécie pode chegar a três metros de comprimento e pesar entre 100 e 200 quilos. O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) informou que vai investigar se o animal foi introduzido clandestinamente no Lago Paranoá.

A Superintendência de Auditoria e Fiscalização do Ibram alerta que o pirarucu é uma espécie exótica da Amazônia e que poderia se comportar como um predador no Lago Paranoá, o que causaria um desequilíbrio na cadeia alimentar.

Vale ressaltar que a introdução de espécies exóticas no Lago Paranoá sem a autorização do órgão é infração ambiental. O valor da multa é R$ 2 mil. Agora os especialistas vão a campo para tentar localizar o peixe e averiguar se há outros exemplares no lago.

O post Lago Paranoá: pirarucus podem causar danos ambientais apareceu primeiro em Jornal de Brasília.


Leia matéria na íntegra no Site Portal de Brasília

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.