‘Largou serviço e faculdade para estudar’, lamenta mãe de jovem que morreu após fazer teste de aptidão física em concurso de RR


Corpo de Arthur Neiva Vieira, de 23 anos, está sendo velado em Gurupi. Amigo que também fez a prova diz que vários competidores passaram mal durante teste. Corpo do jovem que morreu durante teste físico é velado em Gurupi
“Ele largou o serviço, largou faculdade só para estudar”. As palavras são de Elaine Fernandes, mãe de Arthur Neira Vieira, de 23 anos. O jovem, que tinha o sonho de ser policial, teve a vida interrompida de forma precoce no último domingo (7), depois de passar mal durante o teste de aptidão física do concurso de agente penal de Roraima.
Durante o enterro, a mãe lamentou a morte. Em lágrimas, ela contestou a informação de que Arthur tinha fugido do Hospital Geral de Roraima (HGR). A Secretaria de Saúde do estado afirmou que Arthur esteve na unidade hospitalar, na última sexta-feira (5) após passar mal, mas fugiu do local após solicitar alta e o médico informar que seria necessário revisão do prontuário.
“Porque é um hospital de referência, ninguém entra e ninguém sai sem ser aberta a porta, ninguém. Como meu filho iria fugir? É mentira, é eles querendo tirar o corpo fora. Ele largou o serviço, ele largou faculdade só para estudar para isso”, disse.
O corpo do jovem chegou na manhã desta quarta-feira (10) em Gurupi e está sendo velado no salão de uma funerária. Amigos se juntaram, arrecadaram dinheiro para pagar o translado. O corpo foi transferido, em uma aeronave, de Roraima a Brasília. Depois, foi encaminhado para Gurupi, em um carro funerário.
Os amigos agora sofrem com a saudade do jovem, que estava em busca da realização de um sonho.
“Eu sou policial militar, depois que eu passei na Polícia Militar – a gente trabalhava junto na mesma empresa – ele falava para mim que me tinha como exemplos. Inclusive, cerca de uma semana antes, ele estava com dores no joelho, auxiliei, falei para trocar o tênis”, lembra o amigo Thiago Melo.
Arthur Neiva Vieira de Sousa, tinha de 23 anos.
Reprodução/Rede social/Intagram
A família informou que o rapaz treinava para a segunda etapa do concurso e não tinha apresentado nenhum problema de saúde. Ele morreu depois de concluir o teste físico. O amigo Marcos Marques, que estava com Arthur e também fez a mesma prova, conta que outros candidatos passaram mal.
“O Arthur falou também que na corrida dele, outras pessoas passaram mal. Na minha corrida, eu fiz o teste às 11h da manhã, no sábado, outras pessoas passaram mal. Eu vi nas redes sociais vídeos de pessoas correndo que também passaram mal”, relatou Marques.
Segundo o governo de Roraima, Arthur já teria dado entrada no HGR antes do dia em que a morte foi registrada, mas exigiu alta mesmo com orientação médica de permanecer na unidade. Essa versão é contestada por parentes e amigos.
Marcos, que estava hospedado com Arthur, diz que ele chegou a ser atendido em unidades hospitalares várias vezes depois que realizou o teste.
“O Arthur não fugiu do hospital. Eu acho que o caso que estão falando que ele saiu do hospital foi na sexta-feira, logo depois de terem levado ele. A gente foi lá [no hospital] buscar o Arthur, quando ficamos sabendo que ele estava no HGR. O Arthur saiu pela porta do trauma, que é um dos locais do HGR, ele saiu pela porta da frente, com uma equipe abrindo a porta para ele. Ele saiu com os aparelhos dele e a gente o levou, andando”, disse Marcos.
A produção da TV Anhanguera pediu esclarecimentos, tanto ao Hospital Geral de Roraima, quanto ao governo do estado, mas ainda não teve retorno.
Velório com familiares e amigos do jovem
Reprodução/TV anhanguera
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.