Jovem que morreu durante teste de aptidão física em RR é enterrado em Gurupi


Arthur Neiva Vieira de Sousa tinha 23 anos. Governo de Roraima disse que ele chegou ao hospital com insuficiência hepática e renal. Jovem que morreu em teste de aptidão de concurso é enterrado em Gurupi
Jairo Santos/TV Anhanguera
O corpo de Arthur Neiva Vieira de Sousa foi enterrado por volta das 18h desta quarta-feira (10) em Gurupi, no sul do Tocantins. A cerimônia levou amigos, familiares e conhecidos ao cemitério São José ao entardecer. A morte de Arthur foi durante um teste de aptidão física para um concurso público no estado de Roraima. O caso comoveu os moradores de Gurupi, onde a família mora.
O corpo de Arthur foi transportado, de Boa Vista a Brasília, na noite desta terça-feira, em um avião. Depois, seguiu em um carro funerário, até Gurupi. Os amigos fizeram uma vaquinha para ajudar no translado.
A mãe do jovem, Elaine Fernandes, estava muito abalada e durante o velório relembrou os sonhos e esperanças do filho. “Ele largou o serviço, largou faculdade só para estudar”.
Arthur Neiva Vieira de Sousa, tinha de 23 anos.
Reprodução/Rede social/Intagram
O concurso que Arthur prestou era para o cargo de agente penal. Arthur passou na primeira etapa do concurso e começou a se preparar para a segunda fase. Foram cerca de 15 dias de treino para o teste de aptidão física. Na semana passada, viajou até Roraima para fazer a prova.
A Secretaria de Saúde de Roraina afirmou que Arthur esteve no Hospital Geral de Roraima (HGR) na última sexta-feira (5) após passar mal. A primeira nota emitida pelo órgão dizia que o rapaz fugiu do local após solicitar alta e o médico informar que seria necessário revisão do prontuário.
Ainda conforme a Secretaria, Arthur retornou ao hospital no domingo (7) apresentando quadro de insuficiência hepática e renal. Devido a gravidade do caso, não resistiu e morreu.
De acordo com a secretaria de comunicação, o jovem apresentou laudo de aptidão física assinado por um médico cardiologista do Tocantins que o havia declarado apto para a realização do teste físico.
A família questiona a versão apresentada pela secretaria. “”Porque é um hospital de referência, ninguém entra e ninguém sai sem ser aberta a porta, ninguém. Como meu filho iria fugir? É mentira, é eles querendo tirar o corpo fora. Ele largou o serviço, ele largou faculdade só para estudar para isso”, disse a mãe.
O amigo Marcos Marques, que estava com Arthur e também fez a mesma prova, conta que outros candidatos passaram mal.
“O Arthur falou também que na corrida dele, outras pessoas passaram mal. Na minha corrida, eu fiz o teste às 11h da manhã, no sábado, outras pessoas passaram mal. Eu vi nas redes sociais vídeos de pessoas correndo que também passaram mal”, relatou Marques.
Marcos, que estava hospedado com Arthur, diz que ele chegou a ser atendido em unidades hospitalares várias vezes depois que realizou o teste.
“O Arthur não fugiu do hospital. Eu acho que o caso que estão falando que ele saiu do hospital foi na sexta-feira, logo depois de terem levado ele. A gente foi lá [no hospital] buscar o Arthur, quando ficamos sabendo que ele estava no HGR. O Arthur saiu pela porta do trauma, que é um dos locais do HGR, ele saiu pela porta da frente, com uma equipe abrindo a porta para ele. Ele saiu com os aparelhos dele e a gente o levou, andando”, disse Marcos.
Após os questionamentos da família, o Governo de Roraima emitiu uma nova nota em que não afirma que Arthur tenha fugido do hospital. Disse apenas que ele não recebeu alta no sábado antes de deixar a unidade. A Secretaria de Saúde disse que todas as informações sobre o caso podem ser repassadas à família e outros esclarecimentos, prestados por meio da Ouvidoria do HGR.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.