Suspeito de espancar e atirar na própria mulher em Araguacema é preso


Por medo, vítima buscava na Justiça a prisão do agressor. Mulher passou quase dois dias fugindo do agressor em área de mata fechada. Mulher sofreu tentativa de feminicídio no interior do Tocantins
Divulgação
O suspeito de espancar e atirar na própria mulher, no município de Araguacema, foi preso na manhã desta quinta-feira (14). O crime aconteceu no dia 3 de janeiro, na zona rural da cidade e a vítima precisou fugir por uma área de mata por quase dois dias, até receber atendimento médico. Segundo a Polícia Civil, o homem de 39 anos será indiciado pelo crime de feminicídio tentado.
A polícia informou que dias após as agressões o suspeito havia se apresentado em uma delegacia para negar o crime.
A defesa da mulher já tinha entrado na Justiça pedindo a prisão, pois considerava que apenas a medida protetiva não seria suficiente. O homem foi detido pela Polícia Civil durante cumprimento de mandado de prisão preventiva.
Após ser ouvido, o investigado foi levado para a Cadeia Pública de Araguacema, onde permanece à disposição da Justiça.
Entenda o caso
A tentativa de feminicídio aconteceu durante comemoração do aniversário de uma das filhas da vítima com o suspeito. Segundo a polícia, houve um desentendimento após as festividades e a vítima teria dito que queria ficar mais tempo na fazenda com os filhos. O homem teria ficado irritado e logo começou as agressões.
“Ao ver a vítima chorando no quarto passou a discutir, tornando-se extremamente agressivo, desferindo um soco em seu rosto, e ordenando que a mesma o acompanhasse e adentrasse em seu veículo, tomando rumo desconhecido pela zona rural”, disse o delegado Antônio Onofre da Silva Filho.
De acordo com as investigações, durante o trajeto o suspeito afirmava que a companheira iria morrer. A polícia informou que ele chegou a parar o veículo em frente a uma lavoura de soja e passou a apontar uma espingarda contra a nuca dela.
O homem teria disparado duas vezes na direção da vítima, mas a arma falhou. Já o terceiro disparo atingiu a nuca da mulher, que conseguiu escapar e correr em direção à mata para fugir do agressor, que ainda continuava afirmando iria matá-la com um facão.
Conforme o depoimento da vítima, durante a fuga ela chegou a atravessar um rio a nado e precisou improvisar calçados utilizando um sutiã e sofreu diversos tipos de ferimentos causados pela vegetação.
Apenas no final da tarde do dia seguinte ela foi resgatada por um casal de agricultores da região, levada ao Hospital Municipal de Araguacema e transferida ao Hospital Regional de Paraíso do Tocantins.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.