Veja tudo o que precisa saber para votar na eleição suplementar em Lajeado


Votação será das 8h às 17h e o voto é obrigatório para quem tem entre 18 e 70 anos. Eleitores poderão usar o título digital. Eleição vai escolher novo prefeito de Lajeado
Mazim Aguiar/TV Anhanguera
Os eleitores de Lajeado, na região central do estado, irão às urnas neste domingo (1º) para escolher quem deve ficar a frente da prefeitura da cidade até o fim de 2020. A eleição suplementar foi convocada após a cassação do prefeito Tércio Dias Melquiades Neto (PSD). A votação começa às 8h e o voto é obrigatório para quem tem entre 18 e 70 anos.
A partir das 18h do sábado (30) está em vigor a lei seca na cidade. Isso significa que fica suspensa a venda de bebidas alcoólicas em supermercados, bares, boates, hotéis, restaurantes, lanchonetes ou qualquer outro tipo de estabelecimento. Ela continua em vigor até às 18h do domingo (1º).
Haverá quatro locais de votação com 14 sessões eleitorais ao todo. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) informou que além das 14 urnas já montadas, há seis como contingência em caso de problemas. Confira a lista de locais de votação:
Colégio Estadual Nossa Senhora da Providência – seções 39, 43, 81 e 89
Centro de Referência de Assistência Social – seções 97, 100 e 105
Escola Municipal JK – Povoado Pedreira – seções 83 e 98 (zona rural)
Escola Estadual Sebastião de Sales Monteiro – seções 57, 58, 59, 79, 99
Os eleitores que quiserem, podem utilizar o e-título normalmente. Também são aceitos os títulos eleitorais físicos desde que acompanhados por documento de identificação com foto.
A legislação permite a manifestação “individual e silenciosa” da preferência do eleitor. A lei não cita especificamente o uso de camisas e bonés, porém a justiça eleitoral entende que se o eleitor usar esses itens nas condições acima, não há problema.
A Justiça Eleitoral proíbe, no entanto, a aglomeração de pessoas com material de propaganda de canditados, por isso não é recomendado que famílias e grupos vão votar vestindo camisas dos canditados ou partidos, pois os fiscais podem entender como propaganda eleitoral.
O eleitor também não pode distribuir santinhos, fazer boca de urna, assim como ir para o equipamento de votação com aparelhos eletrônicos ou tirar fotos. É permitido levar uma ‘cola’, papel com o número dos candidatos escolhidos.
Também haverá esquema especial de policiamento na cidade para inibir a prática de crimes eleitorais. A apuração começa logo depois do fim da votação, mas a quantidade de votos do candidato Antônio Alves Oliveira (PSL) não será divulgada porque o pedido de registro de candidatura dele ainda está para ser julgado pelo TRE.
A expectativa é que quem vencer seja diplomado até o dia 16 de dezembro.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.