UFT investiga frase racista na porta de banheiro: ‘Fora macaca descabelada’

Palavras provocaram indignação em estudantes, que pedem punição do responsável. Caso aconteceu no câmpus de medicina veterinária, em Araguaína. Frase racista em porta de banheiro indigna estudantes da UFT: ‘macaca descabelada’
A Universidade Federal do Tocantins (UFT) busca identificar o responsável por uma frase racista escrita na porta de um banheiro feminino, no câmpus de medicina veterinária, em Araguaína. As palavras “Fora macaca descabelada” provocaram indignação nos estudantes, que pedem a punição do envolvido. (Veja o vídeo)
“A gente não pode, de forma alguma, deixar isso passar despercebido porque aparentemente pode ser algo pequeno, mas que pode tomar uma proporção, outras pessoas podem se sentir no direito de vir e fazer uma coisa maior”, disse a estudante Debora Gomes.
“Ver uma manifestação dessa, mesmo que indiretamente, é muito triste para a gente”, afirmou a estudante Lidiane Souza.
O estudante Diogo Thomaz Costa recebeu a frase em uma rede social enviada por uma aluna, que segundo ele se sentiu ofendida. “Eu como membro, representante estudantil, fiz a propagação da informação e que tomou uma proporção muito grande. Desde já, cobrando também o posicionamento da instituição e também com a representatividade dos movimentos estudantis para se posicionarem e não deixarem que isso passe despercebido”.
Frase escrita em porta de banheiro indignou estudantes da UFT
Reprodução/TV Anhanguera
De acordo com o administrador do câmpus, Janser Mauro Carneiro, a universidade investiga o autor da frase. “A partir daí começa um processo para analisar o fato, pode ser encaminhado para sindicância para tentar identificar quem foi que tentou vandalizar o banheiro da unidade”.
A direção do câmpus de medicina veterinária e zootecnia da UFT repudiou todos os atos de violência, sejam elas físicas ou verbais. Repudiou ainda os atos de racismo e informou que vão continuar investigando para punir os responsáveis.
Racismo é crime
O crime de racismo implica na conduta discriminatória dirigida a determinado grupo ou coletividade. De acordo com a legislação, o crime está em “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. A pena é de um a três anos de prisão e multa.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.