Por falta de leitos, macas do Samu ficam retidas no maior hospital público do TO

Segundo coordenador, 11 macas estão sendo usadas como leitos na unidade. Por causa de superlotação, paciente precisou deitar no chão do hospital. Macas do Samu ficam retidas no HGP por falta de leitos para pacientes
As macas do Serviço Móvel de Urgência (Samu) estão ficando retidas no Hospital Geral de Palmas, o maior hospital público do Tocantins, por falta de leitos na unidade. Segundo o coordenador de enfermagem do Samu, Selismar Rabelo, 11 macas estariam sendo usadas por pacientes. Mas reter as macas é proibido por uma resolução do Conselho Federal de Medicina. (Veja o vídeo)
“Hoje nós temos 11 macas retidas no hospital com mais seis aqui em funcionamento nas viaturas e três na reserva técnica para as ambulâncias”, disse.
A Secretaria de Saúde do Tocantins informou que o hospital já tomou providências para liberação das macas. (Veja abaixo a nota na íntegra)
Mas mesma usando as macas, ainda faltam leitos no hospital. O paciente Miguel de Oliveira teve que deitar no chão. “Ontem ele dormiu no chão, eu forrei um pano e botei para ele dormir, não tem nem cadeira para sentar”, disse a mulher do paciente, a professora Maria das Dores Nascimento Ramos.
Paciente deita no chão por falta de leito no HGP
Reprodução/TV Anhanguera
Segundo funcionários do HGP, a unidade esta lotada e falta acomodação para os pacientes. “É indignante a situação vivenciada de superlotação do HGP. Faz muitos meses que vem ocorrendo a situação. Daí publicam em mídia que tem corredor zero. Corredor zero que nada. Os pacientes estão sendo ocultados em salas despreparadas em cima de uma cadeira”, disse um funcionário.
A aposentada Dulcinedie Maria Coutinho está com o pai internado e passou por uma situação semelhante. “Teve um dia que eu vim aqui fora ajudar a colocar o paciente no carro para ir embora para ele desocupar a maca. Eu fui puxando a maca até onde está meu pai para colocá-lo em cima da maca”.
O artigo 21 da Resolução do Conselho Federal de Medicina diz que em nenhuma hipótese macas do Samu devem ficar retidas em unidades de saúde e se o problema persistir o diretor do hospital deve ser responsabilizado.
Diretora manda mensagem em grupo confirmando que macas do Samu estão retidas
Reprodução/TV Anhanguera
Uma mensagem enviada por uma diretora do HGP num grupo de WhatsApp confirma que os equipamentos do Samu e Corpo de Bombeiros estão retidos. Ela pede para que deem alta com urgência a pacientes internados.
“Se a maca é do Samu para transportar o necessitado e está ficando retida aqui, o que tem que fazer, tem que transportar na carroça”, questionou o aposentado Edival Aires.
Outro lado
A Secretaria de Saúde do Tocantins informou que o Hospital Geral de Palmas (HGP) está trabalhando acima da sua capacidade, recebendo grande demanda de pacientes de Palmas, do interior e estados vizinhos.
Disse que, por esta razão, tem trabalhado junto aos municípios para que a unidade possa receber somente os casos mais graves e de alta complexidade e que os demais devem procurar os hospitais do interior, as UPAs e unidades básicas de saúde.
Afirmou também que o secretário de saúde estará durante a semana dentro da uinidade para buscar sanar os principais problemas junto com as equipes médicas e para acompanhar de perto o dia a dia do hospital.
Sobre o paciente deitado no chão, disse que ele já foi acomodado em leito e está sob os cuidados da equipe do HGP.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.