Eleições no Tocantins terão reforço de 1,6 mil PMs, Exército nas aldeias, drones e sala de monitoramento


Parte do efetivo extra será convocado nos batalhões da PM em cada município e a capital deve enviar cerca de 680 militares ao interior. Sala de monitoramento começa a funcionar no sábado. Reunião acertou detalhes do esquema de segurança para as eleições
Divulgação/SSP
O Tocantins terá reforço na segurança para as Eleições 2020. A Polícia Militar informou que 1.650 policiais foram convocados para participar da operação especial no domingo (15). O número é apenas de efetivo extra, sem levar em consideração os militares que já fazem a segurança dos municípios diariamente.
De acordo com a PM, 681 policiais serão encaminhados da capital para os batalhões do interior. Os outros 969 serão convocados nas próprias unidades, incluindo a da capital, para reforço local. São profissionais que estariam de folga ou que fazem serviços administrativos, por exemplo.
A corporação não divulgou um levantamento de quantos policiais a mais devem ir para cada município porque esta decisão será tomada pelo comando de cada batalhão, conforme as necessidades que surgirem no dia da votação.
Além do reforço da PM, o Tribunal Superior Eleitoral anunciou o envio de tropas federais ao Tocantins. Estes profissionais vão ficar focados na segurança de aldeias indígenas. Ao menos quatro cidades devem receber agentes da Força Nacional de Segurança. A previsão é de que pelo menos 270 homens do Exército sejam enviados ao estado.
Nesta quarta-feira (11) foram realizadas duas reuniões sobre o assunto. A primeira foi no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar com outras forças que vão participar do esquema de segurança. Depois, o plano foi apresentado durante a tarde para a Justiça Eleitora e para o Gabinete de Segurança Institucional na sede do Tribunal Regional Eleitoral. Por questões estratégicas, os pontos específicos que devem receber reforços em cada cidade não são divulgados.
As sessões de votação e as sedes dos cartórios eleitorais, assim como o prédio do Tribunal Regional Eleitoral, devem estar entre as áreas com maior efetivo. Haverá uso de drones em alguns pontos para flagrar eventuais crimes eleitorais. Em Palmas, o trânsito será bloqueado no entorno da sede do Cartório Eleitoral já a partir da sexta-feira (13).
As Polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal; a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), os Bombeiros, e as Guardas Municipais e Metropolitana de Palmas também terão efetivo extra. As ocorrências serão registradas em um sistema unificado e tudo será acompanhado a partir da sala de monitoramento das eleições. Esta sala começa a funcionar no próximo sábado (14) às 14h.
Além de crimes eleitorais, as equipes vão monitorar outros eventos que possam ter impacto na votação como acidentes de trânsito, atendimentos de urgência e emergência, bloqueio de vias, colapsos de estruturas ou desmoronamentos.
Plano foi apresentado para a Justiça Eleitoral e para o GSI em Palmas
Divulgação/TRE
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.