Primeiro dia de retorno das aulas presenciais em Araguaína tem poucos alunos nas escolas


Pais ainda estão receosos em enviar os filhos para estudar em plena pandemia. Secretário diz que número de casos será termômetro para aulas presenciais. Escolas tiveram retomada tímida em Araguaína
Igor Pires/TV Anhanguera
A retomada das aulas presenciais em Araguaína, no norte do Tocantins, foi bem tímida na manhã desta terça-feira (3). Mesmo com as turmas divididas e após sete meses de suspensão, algumas das salas estavam praticamente vazias. É que os pais ainda estão com medo de enviar os filhos para estudar em plena pandemia.
“Os pais estão um pouco receosos, mas acredito que logo, logo eles irão perceber que a escola fez todo um planejamento para essa volta. Nós estamos seguindo todas as orientações do ministério da saúde e acredito que logo eles estarão mais seguros em mandar as crianças para a escola”, afirmou Eliane Nunes, que é diretora de uma das escolas municipais.
Em Araguaína são cerca de 20 mil alunos que retornam após sete meses de suspensão. As crianças estão tentando se acostumar ao ‘novo normal’ e às medidas de prevenção à Covid-19.
“A gente tem que ficar com álcool em gel, não pode tirar a máscara, tem que ficar o tempo todo. É bem difícil, na verdade ficar com a máscara, sufoca um pouco. E usar o álcool em gel toda hora, tem que lembrar”, disse a menina Ábida Gonçalves, de 10 anos.
As crianças gostaram de voltar ao ambiente escolar. A parte mais difícil está sendo evitar o contato e as brincadeiras com os colegas, ainda mais depois de tanto tempo longe.
“Achei bom porque a gente vivia ficando dentro de casa. Eu achei muito bom a gente voltar para a escola. Tá fazendo falta [as brincadeiras] porque a era o nosso momento de brincar aqui e está fazendo muita falta”, disse a Yasmim Sousa, de 11 anos.
O Guilherme Milhomem disse que estudar em casa não é a mesma coisa. “Eu estava sentindo falta das professoras ensinando porque estudar com a mãe não é muito bom. Assim, porque qualquer coisinha está errado, o a está com a perna torta. Eu pensava que era melhor [estudar] dentro de casa, mas é muito melhor na escola”, contou.
Estudantes voltaram às aulas presenciais em Araguaína
Igor Pires/TV Anhanguera
A rede municipal de Araguaína tem com 79 escolas, sendo 66 na zona urbana. O retorno chegou a ser previsto em agosto e setembro, mas foi suspenso. A cidade tem 15.962 casos de Covid e 225 moradores morreram. O sindicato dos trabalhadores em educação é contra retomada das atividades neste momento.
“O Sintet é contra as aulas presenciais nesse momento por entender que coloca as crianças em uma situação de risco à saúde e até mesmo à vida, não só deles, mas dos familiares e dos profissionais. Esse é um momento delicado em que temos que cuidar da vida, da saúde das crianças, preservar a saúde e avida. A educação sem vida não existe”, disse a presidente do sindicato em Araguaína, Rosy Franco.
Revezamento
Nesse primeiro momento as aulas vão ser realizadas de forma escalonada. Parte da turma em sala e outra metade em casa. Os alunos que têm parentes dentro do grupo de risco da Covid-19 também foram orientados a permanecerem fazendo as atividades de forma remota.
O secretário de Educação afirma se os registros voltarem a subir as aulas podem ser suspensas novamente.
“Ocorre que o quadro da própria pandemia é um termómetro. Se os casos vierem a subir e a gente sentir que isso vai trazer algum tipo de problema, não há dificuldade nenhuma em uma paralisação se for o caso, mas não é isso que nós esperamos. Estamos preparados para a continuidade e retomada total das aulas”, comentou o secretário de educação de Araguaína José da Guia.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.