Polícias Civil e Militar prendem suspeito de estupro e moradores revoltados com crime cercam viatura


O suspeito é Genivaldo Sobreiro Pinheiro, de 32 anos. Polícia Civil informou que ele já cumpriu pena pelo mesmo crime antes e confessou o novo abuso. Polícia prende suspeito de estuprar jovem em Aliança do Tocantins
As polícias Civil e Militar de Aliança do Tocantins, no sul do estado, conseguiram prender nesta sexta-feira (23) o suspeito de um estupro que chocou a cidade. Ele foi identificado como Genivaldo Sobreiro Pinheiro, de 32 anos. O crime foi na madrigada entre a última quarta (21) e quinta-feira (22), quando uma jovem foi atacada enquanto dormia dentro da própria casa por um homem que invadiu o imóvel pelo telhado.
Após a prisão de Pinheiro, moradores revoltados com o caso tentaram cercar a viatura com o suspeito. Ele foi levado para Gurupi e interrogado pelo delegado Otaviano Augusto Lelis Vieira. No depoimento, segundo a PC, Pinheiro confessou o crime e deu detalhes de como tudo aconteceu.
O G1 não conseguiu contato com a defesa de Genivaldo Sobreiro Pinheiro.
Ele afirmou que pulou muro e destelhou o teto da cozinha, pois tinha intenção de roubar. Quando avistou a vítima dentro da casa, o suspeito teria mudado de ideia. Ele então agarrou, amarrou as mãos da mulher com pedaço de lençol, pegou uma faca e apontou na direção dela para poder cometer o abuso.
A vítima estava sozinha em casa. Ela tem uma criança de aproximadamente um ano, mas que estava com outros membros da família.
População fica indignada com caso de estupro em Aliança do Tocantins
Reprodução/ TV Anhanguera
As suspeitas imediatamente recaíram sobre Genivaldo Sobreiro porque ele já tinha cumprido pena pelo mesmo crime e estava solto há cerca de um ano. O crime em questão foi em 2011 contra uma idosa que tinha 81 anos na época do abuso e era avó de um conhecido do suspeito. Genivaldo também é investigado em outros inquéritos como suspeito de abusos, mas não chegou a ser indiciado em nenhum deles.
Após o homem ser detido, ele teve a prisão preventiva decretada pela Justiça no começo da noite desta sexta-feira (23). Foi necessário fazer o pedido à Justiça porque o prazo de 24 horas para uma prisão em flagrante sem válida já tinha vencido. As autoridades do sistema prisional devem decidir se vão levá-lo para a Casa de Prisão Provisória de Gurupi ou para o Complexo Penitenciário de Cariri do Tocantins nas próximas horas.
A jovem vítima do estupro passou por um exame de corpo de delito que confirmou o abuso. O laudo foi anexado ao processo. Como a prisão é preventiva, não há prazo para que Genivaldo Sobreiro saia da cadeia.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.