Pacientes internados no HGP reclamam da demora para realização de cirurgias por falta de materiais


Também há uma fila de espera de seis mil pessoas que aguardam cirurgias eletivas em todo estado. Secretaria de Estado da Saúde diz que estoques foram repostos, mas tem priorizado atendimento às vítimas da Covid-19. Lacen-TO passa analisar maior quantidade de amostras da Covid-19; entenda
Pacientes que estão internado no Hospital Geral de Palmas (HPG) reclamam da demora na realização de cirurgias. Esse é o caso do pedreiro Aderaldo, que está internado há mais de 45 dias após sofrer um acidente de trabalho e fraturar o tornozelo e a tíbia. A esposa dele conta que o procedimento foi marcado, mas não aconteceu por falta de luvas.
“Essa informação veio do centro cirúrgico, que todas as cirurgias teriam sido suspensas devido à falta de luvas”, disse a esposa, Francisca Leoneuma Rodrigues.
Outro caso semelhante é da dona Rosa, de 86 anos. O procedimento dela também chegou a ser agendado, mas ela continua internada no HGP com o joelho fraturado. Segundo a irmã dela, o motivo também é falta de estrutura.
“Eles dão desculpa que hoje não tem material, amanhã não tem UTI para colocar ela e fica levando com a barriga. A gente já correu lá de todo jeito e não tem jeito não”, afirmou a Santina Pereira.
A Secretaria Estadual da Saúde confirma que houve irregularidade no abastecimento de alguns itens e depositou a culpa na pandemia e disse que atrasou a reposição por causa da falta de matéria prima para os fornecedores.
Segundo o Estado, atualmente todos de materiais e insumos estão em estoque, e tem buscado a otimização para garantir os atendimentos de urgência e emergência que aumentaram nos últimos meses.
Pedreiro está há 45 dias internado enquanto aguarda cirurgia
TV Anhanguera/Reprodução
Cirurgias eletivas
O estado também teve aumento no número de pessoas que aguardam cirurgias eletivas, consideradas menos graves, na rede pública. Por conta da pandemia de Covid-19 esses procedimentos estão parados.
Seis meses atrás, 5.170 pessoas aguardavam por esse tipo de procedimento. No último balanço divulgado, a fila de espera cresceu e tem cerca de seis mil pacientes.
O procedimento que a dona Rosa precisa não é considerado eletivo e nem de urgência pela Secretaria de Saúde. Além disso, também não tem nova data pra acontecer. A irmã está preocupada porque além de ser do grupo de risco para Covid-19, a paciente tem deficiência na fala e apresentou problemas emocionais durantes a internação.
A Secretaria de Saúde disse que tanto Aderaldo quanto a dona Rosa estão internados e sendo cuidados pela equipe do HGP. Afirmou também que os procedimentos deles foram adiados porque existem outros pacientes com atendimentos prioritários, como é o caso dos infectados pela covid-19.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.