Cerca de 300 homens do Exército vão reforçar o combate ao fogo em locais de difícil acesso


Em Palmas, focos atingem serras e dificultam o trabalho das equipes. Em Paranã, grande queimada se alastrou por 40 fazendas e queimou 23 porcos e outros animais. Cerca de 300 homens do Exército reforçam combate a incêndios em locais de difícil acesso
Cerca de 300 homens do Exército iniciaram o apoio ao combate a incêndios florestais no Tocantins. Diariamente, eles fazem treinamentos especiais para agir nos locais de difícil acesso e vão atuar conforme a demanda. De janeiro até esta sábado (5), foram registrados 5.763 focos de queimadas em todo o estado, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).
“Nós estamos fazendo já um apoio, uma reunião diária junto com todos os órgãos ambientais. Nós instalamos um centro de operações no batalhão, diariamente nós reunimos, em cima dos focos que já tenham sido feito um mapeamento, nós passamos a estabelecer o ajuste das nossas tropas e nós mandamos de acordo com a demanda dos órgãos ambientais”, explicou o comandante do 22º Batalhão do Tocantins, coronel Carlos Brush.
“É de grande importância, a gente sabe que o Exército brasileiro, a Marinha do Brasil são instituições que possuem uma capacidade de logística muito boa, consegue aumentar a capacidade de resposta do Estado e permite atuar em locais onde o Estado, muitas vezes, tem dificuldade de atuar sozinho”, disse o coordenador adjunto da Defesa Civil do Tocantins, Erivaldo Alves.
Homens do Exército vão trabalhar no combate ao fogo no Tocantins
Reprodução/TV Anhanguera
Em Paranã, sudeste do Tocantins, o fogo devastou várias propriedades rurais, neste sábado. Em um dos imóveis, o chiqueiro virou cinzas e 23 porcos e outros animais foram carbonizados. A região teve cinco focos de queimadas que se espalharam por 40 fazendas.
Dados do Inpe indicam que nos três primeiros dias deste mês, foram identificados 377 focos, enquanto no mesmo período do ano passado, foram 355.
Uma das áreas mais atingidas pelo fogo no Tocantins é a Serra do Parque Estadual de Lajeado, no entorno de Palmas. A região queima há sete dias. O vento forte, comum neste mês de setembro, ajuda a espalhar as chamas rapidamente e isso dificulta o trabalho dos brigadistas.
Serra do Lajeado é tomada por fumaça
Reprodução/TV Anhanguera
Vídeos mostram o fogo durante a noite numa área conhecida como Taquaruçu Grande, na serra de Lajeado. Imagens feitas do alto, por militares que estavam no helicóptero do Ciopaer, mostram a dimensão da queimada, com a fumaça encobrindo o céu.
Na semana passada, equipes do Ciopaer lançaram 34 jatos de água com helibalde para tentar apagar o fogo. A captação é feita em rios perto das áreas atingidas.
Quem vive nessas regiões em que o fogo se aproxima, sofre com a situação. “Não conseguimos evitar que o fogo se alastrasse novamente por todos os lugares. Desde o dia 27, os bravos brigadistas aqui do Taquaruçu Grande, juntamente com voluntários estão combatendo e ninguém vence essa tarefa. Pedimos socorro imediato, nós precisamos, a natureza precisa, as pessoas precisam”, lamentou a dona de casa Noeli Maria Sturmer.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.