Paraná prevê início de testes da vacina russa em voluntários em um mês

Após a revista científica The Lancet anunciar que a vacina russa Sputnik V produziu bons resultados contra o novo coronavírus, o governo do Paraná informou nesta sexta-feira (4) que os testes em voluntários do estado devem começar em um mês.

A fase três de testes ocorrerá com 10 mil voluntários, todos profissionais da saúde. Para isso, é necessária liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O governo deve pedir registro junto à agência em até dez dias.

Mesmo antes do estudo da The Lancet, o governo paranaense já havia feito um acordo com a Rússia para desenvolver a vacina no estado.

Anticorpos em 100% dos voluntários

De acordo com os testes publicados nesta sexta (4) pela The Lancet, a Sputnik V é segura e produz imunidade. Os resultados publicados na revista apontam que a vacina russa produziu uma resposta de anticorpos em 100% dos participantes dos testes em estágio inicial e não houve nenhum efeito colateral sério.

“Os dois testes de 42 dias – incluindo 38 adultos saudáveis cada – não encontraram nenhum efeito adverso sério entre os participantes e confirmaram que as vacinas candidatas provocam uma resposta de anticorpos”, afirma a publicação.

Contudo, a revista afirma que são necessários testes em maior escala e com um prazo mais longo, “incluindo uma comparação com placebo”, como é feita com a vacina Coronavac no Distrito Federal, por exemplo. Os primeiros estudos foram feitos em junho e julho, com 76 voluntários.

Leia matéria na íntegra no Site Portal de Brasília

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.