Hospital de Dianópolis chega ao quinto dia sem médico para atender pacientes de nove cidades


Única médica que atendia no local foi afastada após diagnóstico de coronavírus. Servidora diz que pacientes que chegam ao local precisam percorrer 300 quilômetros em busca de atendimento. Situação é no Hospital de Dianópolis, no sudeste do Tocantins
Reprodução/TV Anhanguera
O Hospital Regional de Dianópolis, na região sudeste do Tocantins, continua sem plantonista para atender os pacientes nesta segunda-feira (31). A única médica do hospital foi afastada após testar positivo para coronavírus. Só que isso ocorreu no último dia 27 e até agora nenhum profissional foi enviado para cobrir a escala.
Uma servidora que trabalha na unidade e não quis se identificar, informou que os pacientes estão tendo que percorrer pelo menos 300 quilômetros para conseguir atendimento médico.
“Tivemos vários pacientes graves. Nestes cinco dias foram 15 transferências para o hospital de Porto Nacional, que é a 300 quilômetros daqui, e para Palmas que é a 350 quilômetros. Alguns foram sem equipe de enfermagem acompanhando”, contou a servidora, que pediu para não ser identificada.
Em julho deste ano a unidade também ficou cinco dias sem médicos. A Justiça mandou o Estado contratar mais profissionais. A unidade tem 10 médicos contratados, mas cinco estavam de licença e outros quatro atendiam apenas especialidades.
Além de atender Dianópolis, o hospital é referência para mais oito cidades da região sudeste do Tocantins:
Dianópolis – 22.424 moradores
Taguatinga – 16.825 moradores
Ponte Alta do Bom Jesus – 4.591 moradores
Novo Jardim – 2.745 moradores
Porto Alegre do Tocantins – 3.170 moradores
Almas – 6.979 moradores
Taipas do Tocantins – 2.166 moradores
Rio da Conceição – 2.171 moradores
Conceição do Tocantins – 4.087 moradores
“É muito triste ver chegar paciente, precisando de atendimento e não ter o médico plantonista. Não consegue falar com o diretor técnico ou com o diretor clínico. […] Nós já tivemos vários problemas em anos anteriores, mas nunca um caos desse. Em um momento de pandemia nós estamos sem médico”, disse a servidora.
Leitos destinados para Covid-19 estariam vazios por falta de médico
Divulgação
Ainda segundo a servidora, o hospital tem quatro leitos para Covid-19, com respiradores, mas estão vagos porque não há médicos ou equipe para fazer os atendimentos.
No último sábado (29), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) afirmou a médica plantonista responsável pelo atendimento no Hospital Regional de Dianópolis testou positivo para Covid-19 na última quinta-feira (27).
Afirmou ainda que estava trabalhando “para a substituição da mesma, com a contratação de dois novos médicos, a fim de garantir a continuidade dos serviços de saúde, sem prejuízo aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) na região”.
O G1 pediu um novo posicionamento do sobre a falta de médicos e questionou por que os médicos especialistas não estão atendendo os pacientes que chegam à unidade, mas não houve resposta até a publicação desta reportagem.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.