Deputada fez culto horas antes de ser apontada como mandante da morte do marido

Horas antes de a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro concluírem as investigações sobre a morte de Anderson do Carmo, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) fez seu último culto no Ministério Flordelis, em São Gonçalo, bairro da região metropolitana no Rio. As autoridades apontam que a parlamentar mandou matar o marido em razão de disputas financeiras.

Há uma semana, Flordelis relembrou a morte de Anderson, que completou um ano e dois meses no dia 17 de agosto. Em postagem no Instagram, ela afirmou que “quase desistiu de tudo”.

View this post on Instagram

Hoje faz um ano e dois meses que você se foi deixando um vazio enorme. Ainda estou desnorteada, um pedaço do meu mundo se foi para sempre e parte de mim morreu junto com você. A dor se mistura com a revolta, foi cruel demais o que fizeram com você e busco forças em Deus e nas lembranças para lutar. Sinto muito a sua falta, amo você e do meu coração você jamais sairá. Dizem que o tempo cura tudo, não é verdade, quanto mais esse tempo passa, mais a dor de viver sem você aumenta. É impossível arrancar essa dor, eu sei que se você pudesse falar comigo, diria: “aguenta firme e não desista, não pare!” E é o que estou tentando fazer, estou tentando manter viva a igreja que você tanto amava, estou cantando, porque você amava me ver cantar. Quase desisti de tudo, até mudei meu cabelo, mas vou colocar novamente do jeito que você amava. Enquanto eu viver, você vai viver em mim e através de tudo que eu fizer, porque farei sempre por nós dois! Te amo meu Nem! *Lembrança de nossa viagem para Israel.

A post shared by Flordelis ⚜ (@flordelismk) on

Operação

Uma operação da Polícia Civil do RJ e do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) prendeu, na manhã desta segunda-feira (24), seis filhos e uma neta da deputada federal Flordelis (PSD-RJ). Flordelis é tida como a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, executado com mais de 30 tiros em junho de 2019.

Além dos parentes de Flordelis, um ex-policial militar e a companheira dele também foram presos. São cumpridos ainda seis mandados de busca e apreensão, incluindo no apartamento funcional da deputada em Brasília-DF.

O delegado Antônio Ricardo Lima Nunes, que atua no caso, conta que a deputada ficou surpresa com a operação. “Ela foi surpreendida com a nossa chegada. Chorou um pouco”, disse, em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo. “O importante é que as prisões foram cumpridas e a investigação chegou ao fim hoje.”

O inquérito policial concluiu que o pastor foi morto por questões financeiras. Anderson controlava todo o dinheiro da igreja de Flordelis. A deputada, que, para a polícia, mandou matar o marido, vai responder por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima), associação criminosa, falsidade ideológica, uso de documento falso e tentativa de homicídio.

Leia matéria na íntegra no Site Portal de Brasília

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.