Terceira morte por coronavírus entre indígenas do Tocantins é confirmada pelo Ministério da Saúde


Vítima era da etnia Javaé e morava na região de Lagoa da Confusão. Ele estava internado no Hospital Regional de Paraíso. A vítima morava na região de Lagoa da Confusão
Divulgação
O Ministério da Saúde confirmou nesta quinta-feira (16) a terceira morte de um morador indígena por causa do coronavírus no Tocantins. A vítima é um homem da etnia Javaé. Ele morava em uma aldeia perto da cidade de Lagoa da Confusão e estava internado com a doença no Hospital Regional Dr. Alfredo Oliveira Barros, em Paraíso do Tocantins. Segundo o Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) ele morreu na noite da quarta-feira (15).
O nome e a idade da vítima ainda não foram confirmados. A primeira morte por causa da pandemia entre os povos indígenas do estado foi no último dia 10 de julho, quando o ex-cacique da Aldeia São João, Juraci Wasari Javaé, morreu. Ele morava na ilha do Bananal, perto de Formoso do Araguaia. No dia 12 ocorreu o segundo óbito em outra reserva, do ancião João Sõzê, de 89 anos, que morava na região de Tocantínia.
Segundo o Ministério da Saúde, uma Equipe de Resposta Rápida do DSEI está percorrendo as comunidades da etnia Javaé realizando ações de combate e prevenção à Covid-19. O órgão afirma ainda que a Equipe Multidisciplinar de Saúde Indígena (EMSI) do DSEI Tocantins encontra-se nas aldeias prestando assistência à comunidade.
Segundo o boletim mais atualizado do Ministério da Saúde, há 238 casos confirmados de coronavírus entre indígenas no Tocantins sendo que 219 são considerados casos ativos, em que os pacientes ainda podem infectar outras pessoas.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.