Idosa internada após machucar o joelho é contaminada com Covid-19 em hospital e morre no TO, diz família


Família da paciente, de 84 anos, questiona as ações de prevenção à doença no Hospital Regional de Gurupi. Secretaria de Saúde disse que não é possível afirmar que a paciente contraiu a doença dentro da unidade. Idosa morre após ser contaminada com Covid-19 em hospital de Gurupi, diz família
Uma idosa, de 84 anos, que foi internada no Hospital Regional de Gurupi (HRG) após machucar o joelho, morreu na semana passada após ser contaminada pela Covid-19. A família alega que a paciente contraiu a doença dentro da unidade hospitalar e questiona as ações de prevenção ao novo coronavírus dentro do HRG.
A Secretaria Estadual de Saúde disse que não é possível afirmar que a paciente foi contaminada dentro da unidade, já que a transmissão é considerada comunitária. (Veja nota completa abaixo)
Tomázia Alves da Paixão deu entrada no hospital no dia 8 junho porque sofreu um acidente doméstico e machucou o joelho. Segundo a família, a idosa iria fazer uma cirurgia, mas não precisou e estava com previsão de voltar para casa. Mas, ela começou a apresentar sintomas e testou positivo para a Covid-19.
“No dia 9 de julho, agora, a gente recebeu a notícia de que ela tinha pego Covid lá no hospital. Aí, transferiram ela para a sala do Covid, a UTI do Covid, e no dia seguinte, dia 10, ela não resistiu, faleceu”, contou o sobrinho da vítima, Jeferson Rodrigues.
Idosa, de 84 anos, morre vítima da Covid-19 no Hospital Regional de Gurupi
Reprodução/TV Anhanguera
A unidade hospitalar de Gurupi é referência para as regiões sul e sudeste do estado. Atende mais de 30 municípios. Existem alas exclusivas para tratamento da doença. São 15 leitos clínicos e para casos graves, 10 leitos de UTI, que já estão lotados.
Dona Tomázia chegou a ficar internada, mas o quadro de saúde agravou de forma rápida. “A nossa revolta é em relação à segurança, que segurança o hospital de Gurupi dá aos pacientes? Quais os protocolos que não estão sendo obedecidos? Porque infelizmente foi a minha tia que faleceu no dia 10, será que vai acontecer com outras pessoas que estão lá?”, questionou Jeferson.
O que diz a Secretaria de Saúde
A Secretaria Estadual da Saúde informou que a transmissão do novo coronavírus é considerada comunitária no Tocantins e, que por isso, não se pode afirmar que a paciente contraiu a doença dentro do Hospital Regional de Gurupi.
Disse ainda que, apesar de testar positivo para a Covid-19, as causas da morte da dona Tomázia foram as comorbidades que ela já apresentava, antes de dar entrada na unidade de saúde. Na nota, a secretaria também reforça que a paciente recebeu todos os cuidados da equipe multiprofissional da unidade e que segue os protocolos de segurança para evitar a transmissão da doença no ambiente hospitalar.
Mulher morre após receber alta
Essa não é a única polêmica envolvendo a unidade. Uma mulher de 60 anos morreu vítima de Covid-19 em Araguaçu, na região sul do estado, horas após receber alta da UTI do Hospital Regional de Gurupi. O filho de Angelina Macedo de Farias contou ao G1 que a mãe tinha ficado intubada por 11 dias e mesmo estando muito debilitada foi transferida para o hospital da cidade que não é referência no tratamento de coronavírus.
Um vídeo feito na tarde de terça-feira (14) mostra o momento em que a mulher sai do Hospital Regional de Gurupi. Nas imagens, Angelina Macedo aparece bastante debilitada. Segundo a família, ela morreu menos de uma hora após enfrentar a viagem de 190 quilômetros entre Gurupi e Araguaçu.
“Ela estava totalmente sem condições de sair de lá, de ter alta. Nós tentamos impedir, como está no vídeo, mas sem sucesso”, contou Núbia Macedo, filha da vítima.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.