Seis berçários da capital fecham as portas por causa de crise na pandemia


Escolas infantis precisaram cancelar contratos de clientes e a inadimplência cresceu. Não há uma previsão de quando as aulas presenciais vão retornar em Palmas. Seis berçários em Palmas fecham por causa da crise provocada pela pandemia do coronavírus
A suspensão das aulas presenciais em todo estado por causa da pandemia de Covid-19 tem afetado as escolas particulares, que sofrem com o cancelamento de contratos e crescimento da inadimplência. Seis berçários precisaram fechar as portas em Palmas recentemente, segundo o Sindicato das Escolas Particulares. Outras escolas tentam driblar os prejuízos para evitar a falência.
“Nós já temos 50% de inadimplência, 25% de cancelamento e rescisão contratual, já tiraram da instituição. Então sobrou 25% para a gente manter a estrutura”, explicou o vice-presidente do Sindicato das Escolas Particulares, Marco Antônio.
A escola de ensino infantil da Edlusa Portela perdeu 30% do faturamento nos últimos três meses por causa da suspensão de contratos e mais 10% com reajustes nas mensalidades. As aulas seguem de forma online e é preciso criatividade para conseguir prender a atenção de alunos tão pequenos.
“Normalmente as escolas pequenas trabalham com receita e despesa ali muito pertinho. Até agora a gente teve só a queda de receita e a despesa caiu um pouquinho porque tivemos algumas estruturas tipo, negociamos com fornecedor, negociou com proprietário de imóvel”, comentou.
Professora dando aula online para criança
Reprodução/TV Anhanguera
Proprietárias de berçários na capital montaram um grupo para debater sobre possíveis saídas para essa situação. Empresários acreditam que o caminho é a reabertura obedecendo medidas de segurança e afirmam que esse serviço é essencial.
“Para retomada aferir a temperatura na entrada, o uso de máscara, os ambientes que estarão adaptados para receber as crianças”, comentou a dona de creche, Débora Morais.
A Prefeitura de Palmas disse que a as decisões de flexibilizações desse serviço passam pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde, e que até o momento não há elementos técnicos seguros. Por isso, aulas presenciais de redes públicas e privadas seguem suspensas.
O governo do Tocantins disse que a Agência Fomento está disponibilizando linhas de crédito específicas para manter empresas em funcionamento, incluindo escolas.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.