‘A gente está no limite’, diz prefeito de Araguaína sobre índice de ocupação dos leitos de UTI


Em videoconferência, Ronaldo Dimas (Podemos) informou que comércio pode voltar a ser fechado se os números da Covid-19 não forem reduzidos. Prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas
Reprodução/Facebook
O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas (Podemos), admitiu que o índice de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da cidade está no limite. A afirmação foi dita durante uma videoconferência realizada em uma rede social. Durante a reunião ele comentou que o comércio pode voltar a ser fechado se os números da doença não forem reduzidos.
Araguaína é o município com mais casos confirmados da doença. Até esta quarta-feira (17) a cidade tinha 3.044 casos e 40 mortes.
A reunião em questão era sobre o combate à pandemia do novo coronavírus e da construção de um hospital de campanha. Ao falar sobre a quantidade de vagas disponíveis para tratar pacientes com a doença ele citou a possibilidade de fechamento do comércio.
“A gente está no limite do limite. Se a gente não tiver uma melhora agora, muito dificilmente a gente vai conseguir permanecer com as atividades econômicas em funcionamento”, afirmou Dimas.
O prefeito também comentou uma frase do secretário de saúde do Tocantins em que ele teria afirmado que não faltam leitos para tratar pessoas com a Covid-19.
“Não está faltando leitos em Palmas, não está faltando leitos em Gurupi. Mas os leitos daqui que já podiam estar em funcionamento não estão. Segundo ele [secretário] está sob controle. Eu quero acreditar que esteja, mas é imprescindível que a gente tenha não somente o espaço para os [pacientes] de Araguaína, mas também o espaço das pessoas que precisam dessa rede hospitalar em funcionamento”, disse.
Durante a reunião Dimas informou que sete leitos estão prontos para funcionar, mas não há profissionais disponíveis. “Eu já pedi esses leitos. Falei: ‘me empresta aqui que a gente coloca lá no hospital de campanha e bota para funcionar com as equipes que a gente tem’. E lá está parado por falta de equipe”.
O G1 entrou em contato com a Secretaria Estadual de Saúde (SES) e aguarda um posicionamento sobre a disponibilização dos leitos.
Segundo Dimas, se os leitos fossem ofertados poderiam funcionar rapidamente para atender pacientes graves. “Esses equipamentos parados, sem utilização e a gente com essa agonia neste momento. É uma pena que isso esteja ocorrendo”, disse o prefeito.
A Prefeitura de Araguaína também foi procurada para comentar o possível fechamento do comércio, mas só informou que se trata apenas de uma possibilidade.
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *