Ministério Público pede que TCU fiscalize gastos com viagem de políticos para canonização de Irmã Dulce

Segundo o site O Antagonista, o subprocurador-geral do MP junto ao TCU, Lucas Rocha Furtado, pediu ao tribunal uma fiscalização rigorosa sobre os gastos da Câmara, Senado, STF, PGR e governo com a viagem de autoridades ao Vaticano, para participarem da cerimônia de canonização de Irmã Dulce.

Na representação, Furtado diz que, apesar de suposta legalidade, a despesa, caso exorbitante, não atenderia ao princípio da moralidade que, segundo ele, exige que os poderosos sejam “comedidos” ao gastar dinheiro público, oriundo de impostos do povo brasileiro.

“Não basta serem honestos; precisam igualmente parecer honestos. Esse preceito é sintetizado com clareza — e com toda a força da simplicidade dos que agem com retidão e pautam sua vida pela ética — no ensinamento de Irmã Dulce que inaugura a presente representação: ‘é preciso ter certeza de estar fazendo a coisa certa’”, diz a petição.

Segundo a revista VEJA!, ao menos 35 autoridades brasileiras devem participar do evento no Vaticano, por estarem em missão oficial, parlamentares têm direito ao pagamento de diárias de cerca de 400 dólares durante viagem, mas alguns deles abriram mão dos valores.

Leia esse post na integra no Blog República de Curitiba
Autor: Blog República de Curitiba

Avatar

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *