Barragens com erosões e infiltrações preocupam moradores no TO: ‘Durmo pouco’


Relatório da Agência Nacional de Águas (ANA) mostrou que Tocantins tem quatro barragens em situação de risco eminente. Estruturas ficam em projeto de irrigação e foram construídas há quase 40 anos. Tocantins tem barragens com risco de deterioração, aponta vistoria do Naturatins
Um relatório da Agência Nacional de Águas (ANA) apontou que quatro barragens no Tocantins estão em situação de risco, com erosões e infiltrações. Três ficam no projeto de irrigação Rio Formoso, no sul do estado. O produtor rural Ivones Resplandes diz que vive abaixo de um reservatório e afirma que o medo é constante. “Durmo pouco pensando, não só em mim, mas nas pessoas por baixo”, disse.
O sistema para regular o nível do reservatório da principal barragem do projeto está comprometido. Das 16 comportas, 14 estão com as engrenagens quebradas. Durante visita da reportagem ao local, os técnicos trabalhavam para tentar recuperar uma das peças.
“Não encontra para comprar outra peça dessa e para fazer não é fácil. Então, as outras todas foram danificadas, são poucas, e a gente precisa para no caso de uma emergência ter condições de abrir as comportas, dar vazão para evitar problema”, explicou Darci Milhomem, técnico em agropecuária.
O reservatório da barragem Taboca, em Formoso do Araguaia, tem capacidade para armazenar 340 milhões de metros cúbicos (m³) de água. Quando foi construída, há 38 anos, a estrutura foi projetada para sustentar 12 metros, mas para reduzir os riscos opera com a capacidade mínima de cinco metros.
O reservatório Taboca abastece mais três barragens que fornecem água para lavouras, rebanhos, comunidade ribeirinhas e cooperativas agrícolas. As barreiras para contenção da água, chamadas de taludes, estão tomadas por infiltrações e erosões.
Há dois anos, a Agência Nacional de Águas fez um alerta sobre o risco de rompimento das barragens. Em um relatório apontou vulnerabilidade nas estruturas. O agricultor Silvano de Souza disse que conhece de perto os problemas.
“Se eles não tomarem providência na barragem Taboca I, Calumbi I, II e o III, vai tomar um prejuízo muito grande e eu acho que vai ficar na história. Muitas vidas de pessoas, animais, natureza, vai tudo de água abaixo”, afirmou.
Barreiras de contenção apresentam erosões
Reprodução/TV Anhanguera
Situação das barragens
Ao todo, o estado tem 680 estruturas de barramento cadastradas. O Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) seria responsável por monitorar a maioria, cerca de 670, mas somente 143 foram vistoriadas e classificadas quanto ao risco e dano potencial. Ou seja, 527 ainda não foram monitoradas.
O Naturatins explicou que a fiscalização é constante desde 2017 e realizada a partir do momento que os barramentos são identificados em imagens de satélite. Na maioria dos casos, trata-se de barramentos pequenos feitos para irrigação de lavouras ou para animais beberem.
As quatro barragens que apresentam situação mais preocupante estão localizadas em projetos de irrigação: três no Projeto Rio Formoso, em Formoso do Araguaia, e uma em Darcinópolis. Todas são classificadas com Dano Potencial Alto ou Categoria de Risco.
Outro lado
Quanto a situação das barragens do Projeto Rio Formoso, o Instituto Natureza do Tocantins afirmou que conseguiu recursos do Governo Federal para revitalizar as estruturas e iniciou processo de licitação ainda em 2017, mas aguarda empenho dos recursos por parte da União.
O Ministério da Integração Nacional foi procurado e informou, por telefone, que a nova equipe de governo está analisando o projeto de revitalização dos barramentos, assim como outros que estão no ministério.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.
Barragem fica em Formoso do Araguaia
Reprodução/TV Anhanguera

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.