Guató, último povo a ter terra demarcada pode ser primeiro a perdê-la sob Bolsonaro

Além de congelar futuras regularizações de terras indígenas (“Não demarcarei nem um centímetro a mais de terra para índios”, disse o presidente), o Governo Bolsonaro pretende rever demarcações ocorridas nos últimos dez anos em casos onde sejam encontrados indícios de “falha grave”, “erro inadmissível” ou “fraude processual”, informou o secretário especial de Assuntos Fundiários e líder ruralista, Luiz Nabhan Garcia, em entrevista ao jornal O Globo. “Será feito um levantamento amplo e geral de tudo que aconteceu em questões fundiárias no Brasil, seja em reforma agrária, demarcação de terras indígenas e quilombolas”, afirmou. “Se houve alguma falha e se tiver brecha que mostre para Justiça que houve um erro, tudo é possível de anular”, disse.

Seguir leyendo.

Leia matéria na íntegra no Portal El País – Brasil
Autor: Gil Alessi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *