Mais de 200 pessoas são infectadas com leishmaniose no Tocantins em 2018

Araguaína é a cidade com o maior número de casos. Transmissão é feita por mosquito e cão serve como hospedeiro do vírus. Araguaína é a cidade com maior número de pessoas com a doença calazar
O número de humanos com leishmaniose preocupa o estado e os municípios. Somente neste ano foram 201 novos casos. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, Araguaína teve 32 diagnósticos positivos entre janeiro e novembro. Em Palmas ocorreram outros 28 casos e em Gurupi 20 foram infectados.
A transmissão é feita pelo mosquito palha, que passa a doença para o cão e também pode transmitir a leishmaniose para humanos. Os cachorros servem apenas como hospedeiros do vírus.
“O mosquito palha coloca os seus ovos em matéria orgânica em decomposição e vai se desenvolver nesses locais. Além do vetor é preciso também um reservatório. É aí que entram os cães como principais reservatórios da doença. O cão é infectado, o mosquito pica o cão e transmite para outro cão ou para uma pessoa”, explicou o especialista Júlio Bigeli.
Isso é o que pode ter acontecido com o cachorro do Francisco Ribeiro. Ele está com todos os sinais de Calazar e fez o exame na Secretaria de Saúde do município há quase três meses, mas até agora não saiu o resultado.
“Colheram o sangue dos cachorros e ficou de mandar o resultado em 30 dias. Hoje está com quase 80 e a última vez que liguei, ontem, eles não deram o resultado. Disse que o laboratório não mandou”, explicou.
Mosquito palha é o transmissor da leishmaniose
Reprodução/TV Anhanguera
A Prefeitura de Palmas negou o problema. “A gente não teve problema em relação a liberação dos resultados de exames. O que eu preciso é que esses casos cheguem na ouvidoria porque a gente tem como rastrear o nome do cão ou do dono e ver o que aconteceu em cada caso”, afirmou a gerente de vigilância de Palmas, Martha Medeiros.
O Estado alega que as ações de prevenção ao calazar devem ser feitas efetivamente pelos municípios. A capital, por exemplo, que está classificada no segundo grupo de maior prioridade do estado e tem atividades de combate o ano inteiro.
“A gente tem um plano de ação que é renovado a cada ano e faz as ações periódicas. O nosso foco neste ano foram ações de educação e saúde nas escolas e todos os centros de saúde da comunidade”, afirmou Marta Medeiros.
Sintomas
O calazar é uma doença perigosa. Os sintomas nos cães e humanos são diferentes, mas nos dois casos, em 90% das vezes os infectados que não tem tratamento acabam morrendo.
Os principais sintomas da leishmaniose visceral nos animais são: febre intermitente com semanas de duração, fraqueza, perda de apetite, emagrecimento, anemia, palidez, aumento do baço e do fígado, comprometimento da medula óssea, problemas respiratórios, diarreia, sangramentos na boca e nos intestinos.
Em humanos, a doença se manifesta com febre persistente, fraqueza, perda de apetite, emagrecimento, anemia, palidez, aumento do baço e fígado, além de diarreia e sangramentos na boca e nos intestinos.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.