Justiça revoga prisão de ex-juiz eleitoral investigado por descarte de lixo hospitalar em galpão

João Olinto havia se entregado na última terça-feira (27) após passar 15 dias foragido. Ele é apontado como dono da empresa que foi contratada pelo Estado para coletar lixo de 13 hospitais. João Olinto foi preso na última terça-feira (23)
Djavan Barbosa/Jornal do Tocantins
O desembargador Moura Filho do Tribunal de Justiça do Tocantins revogou a prisão do ex-juiz eleitoral e advogado, João Olinto, preso na última terça-feira (27). Ele é apontado como dono da empresa contratada sem licitação pelo Estado para coletar lixo de 13 hospitais públicos e que teria descartado de forma irregular cerca de 200 toneladas de resíduos hospitalares em um galpão em Araguaína. Olinto está sendo investigado por associação criminosa e crime ambiental.
Veja tudo que se sabe sobre o escândalo do lixo hospitalar em Araguaína.
Na decisão, publicada nesta quinta-feira (29), o desembargador converte a prisão em medidas cautelares. João Olinto está proibido de manter contato com os investigados e testemunhas dos fatos que estão sendo apurados; terá que informar onde poderá ser encontrado para receber intimações e comunicar mudança de endereço; está proibido de sair da comarca onde mora sem autorização judicial e ficará obrigado a comparecer perante o delegado e ao juiz responsáveis pelo caso sempre que for intimado.
Em justificativa ao habeas corpus, o desembargador argumentou que o investigado é primário e o crime supostamente cometido não apresenta violência ou grave ameaça. Disse ainda que considera inexistir ameaça à ordem pública ou a instrução criminal, se a liberdade do suspeito for condicionada a medidas cautelares.
João Olinto teve a prisão decretada no dia 12 deste mês e era considerado foragido. No início das investigações, policiais fizeram buscas no hotel, de propriedade dele, em Araguaína. Na época o delegado Bruno Boaventura disse que a suspeita é que ele teria fugido por um matagal.
Ele se entregou na última terça-feira (27), após se apresentar no Forúm de Palmas a um juíz plantonista. Olinto foi levado para o Quartel do Comando Geral da Polícia Militar em Palmas, no mesmo alojamento onde o filho Luiz Olinto está preso por suspeita de envolvimento no mesmo esquema. Ele foi detido no último domingo (25).
A polêmica envolvendo o lixo hospitalar de hospitais públicos do Tocantins começou no início deste mês, depois que fiscais da Prefeitura de Araguaína encontraram um galpão com toneladas de resíduos. O local foi ligado a duas empresas que pertencem à família do deputado estadual Olyntho Neto (PSDB), filho de João Olinto. Na época, o parlamentar era líder do governo Mauro Carlesse (PHS) na Assembleia Legislativa.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.