Em velório de sargento morto pela Polícia Civil, PM diz que ‘guerra vai continuar’

Sargento morreu após abordagem em Gurupi, no sul do estado. Delegado responsável pela investigação resolveu deixar o estado após divulgação do vídeo nas redes sociais. Em velório de PM, policial diz que guerra vai continuar e delegados se sentem ameaçados
Um vídeo gravado durante o velório do sargento da Polícia Militar Gustavo Teles mostra um outro policial da mesma companhia afirmando que “os combatentes vão continuar a guerra que o sargento começou”. O oficial morreu após uma abordagem da Polícia Civil em Gurupi, na noite da última segunda-feira (22). Após a divulgação do vídeo, o delegado que fez o primeiro atendimento do caso resolveu deixar o estado.
“A informação que a gente teve foi de que a saída dele [do delegado] de Gurupi e do Tocantins foi em razão de ameaças que foram feitas por policiais militares e principalmente por um vídeo que está circulando nas redes sociais, em que um membro da Companhia Independente de Operações Especiais disse que a morte do colega vai ter volta e que estamos tentando denegrir a honra dele”, explicou o delegado Bruno Boaventura em entrevista ao G1.
No vídeo citado por Boaventura, um membro da Companhia Independente de Operações Especiais, da qual o sargento Gustavo Teles participava, diz que os “amigos e combatentes estarão sempre continuando a guerra que ele começou, pois a voga não vai parar. Os entendedores entenderão. O nosso irmão não morreu em vão e vai ser honrado”.
O governo do estado informou que não vai se posicionar sobre o vídeo. A Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública foram questionadas, mas ainda não se posicionaram.
PM critica ação de policiais civis durante velório do colega
Reprodução/TV Anhanguera
O caso
A polêmica começou na noite de segunda-feira (22) quando duas pessoas foram mortas por homens em uma motocicleta em Gurupi. Enquanto atendiam a primeira ocorrência, os policiais civis disseram ter identificado dois suspeitos em uma moto.
Durante abordagem, o sargento da PM Gustavo Teles foi baleado e morreu. O outro ocupante da moto era o sargento Edson Vieira. Ele está internado e deve responder pelos dois homicídios registrados antes da abordagem.
Durante depoimento Vieira negou envolvimento nos assassinatos, mas a Polícia Civil afirmou que a perícia técnica confirmou que a arma dele foi usada nos dois crimes.
Imagem mostra momento em que homem é morto em Gurupi, supostamente por policiais militares
Reprodução/TV Anhanguera
Entenda
Na mesma noite da morte do policial foram registrados outros dois homicídios na cidade. As vítimas foram Neuralice Pereira de Matos, de 22 anos, e Nataniel Gloria de Medeiros, de 28 anos.
Outros dois jovens foram baleados de forma semelhante. Eles estavam em uma calçada junto com outras pessoas, quando atiradores passaram de moto e dispararam. Os feridos foram levados para o Hospital Regional de Gurupi.
Os crimes teriam sido praticados de forma semelhante: dois homens em uma motocicleta atiraram contra as vítimas.
O vídeo de uma câmera de segurança na avenida Alagoas, no centro de Gurupi, mostra o momento em que Nataniel Gloria de Medeiros, de 28 anos, é baleado.
Nas imagens é possível ver quando dois homens em uma moto se aproximam de Nataniel, que andava de bicicleta, e fazem um disparo. A vítima cai e então os motociclistas fogem do local. O caso foi na noite desta segunda-feira (22).
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.