ACM Neto: “Espero que a agenda de um Governo Bolsonaro seja de união nacional”

Antônio Carlos Magalhães Neto não enxerga prejuízo para o Democratas, partido que presidente desde março, como consequência do crescimento do Partido Social Liberal (PSL), que elegeu 52 deputados federais empurrados pela onda eleitoral de Jair Bolsonaro no primeiro turno. “Nosso campo político é o centro. O PSL está nitidamente ocupando o espectro da direita”, diz o neto de Antônio Carlos Magalhães, o falecido líder do direitista Partido da Frente Liberal (PFL), que virou DEM em 2007 e, desde então, passa por um processo de reposicionamento no espectro político brasileiro.

Seguir leyendo.

Leia matéria na íntegra no Portal El País – Brasil
Autor: Rodolfo Borges

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *