Uma semana após assassinato de empregada doméstica, ninguém foi preso

No dia do crime, o delegado responsável pelo caso disse que teria novidades sobre o caso em 48h. Agora Polícia Civil informou que não poderá dar detalhes da investigação. Morte de mulher vítima de latrocínio completa uma semana e assassino não foi encontrado
Uma semana após o assassinato da empregada doméstica Leidiene Pacheco da Silva, de 33 anos, ninguém foi preso. Ela morreu depois de ser baleada durante um assalto em uma rotatória no Jardim Aureny III, em Palmas. Ainda no dia do crime, o delegado Guido Camilo, responsável pela investigação, disse que teria novidades sobre o caso em 48h.
O irmão de Leidiene ainda não consegue acreditar na morte dela. “Até hoje a gente não tem resposta, não sabe de nada. A gente até pergunta as autoridades competentes que são responsáveis pela investigação. Eles falam que tem algumas informações, mas não podem ser divulgadas”, diz o irmão Romilson Pacheco.
No dia seguinte ao crime, uma testemunha contou que tentou salvá-la. “Eu escutei o barulho de tiro. Saí no portão e fiquei procurando. Eu enxerguei ela puxando a moto e caiu no chão. Foi exatamente nesse momento que o rapaz presenciou a cena e saiu correndo para socorrer ela. Foi ele que tirou a moto de cima dela”, diz o entregador Isaac Saad.
Na Delegacia de Homicídios de Palmas, a informação é que o caso está sendo investigado. Imagens de circuito interno de segurança de empresas estão sendo analisadas, mas segundo os investigadores ainda não é possível identificar quem matou Leidiene.
A empregada doméstica deixou dois filhos, de 13 e 18 anos. Os irmãos terão que se separar. Um vai morar com o pai e o outro com avó.
Antes deste latrocínio, na mesma noite, uma série de roubos foi registrada nas regiões de Taquaralto e do Aureny III.
A Polícia Civil informou que as investigações realizadas nas 48h seguintes aos fatos não foram suficientes para a resolução do crime. Destacou que as investigações estão avançadas e que seguem em sigilo.
A polícia disse ainda que não poderá ter detalhes da principal linha investigativa adotada para não causar prejuízos ao procedimento.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.
Leidiene Pacheco foi assassinada durante o assalto
Reprodução/Facebook

Leia matéria na íntegra no Portal G1 Tocantins

reporter1

Repórter 1 é um agregador de notícias, um robô que captura automaticamente posts em sites, blogs e grandes portais, economizando seu tempo. Aqui você encontra o caminho mais curto para informações e opiniões relevantes que estão na internet.