Irmão de prefeito encontrado morto não acredita em suicídio: ‘Nunca pegou em arma’


Moisés Costa da Silva tinha uma marca de tiro na cabeça e foi achado com arma no colo. Polícia Civil trabalha com três linhas de investigação: homicídio, latrocínio e suicídio. Moisés Costa da Silva era prefeito de Miracema
Divulgação/Prefeitura de Miracema
“Nunca pegou em uma arma na vida, não sabia nem manusear”. As palavras são de Fidel Costa, irmão do prefeito de Miracema do Tocantins, encontrado morto na última quinta-feira (30), com um tiro na cabeça. Moisés Costa da Silva (MDB), estava dentro da própria caminhonete, com uma arma no colo. A Polícia Civil trabalha com três linhas de investigação: homicídio, latrocínio e suicídio.
“Para mim, suicídio é a hipótese mais remota. As pessoas que cometem suicídio dão sinais, ficam tristes. Ele estava normal, estava muito feliz. Tinha realizado todos os sonhos e iria iniciar tratamento para ter filhos”, contou Fidel.
O irmão contou que a família foi surpreendida com a notícia da morte. “Estamos em estado de choque, queremos justiça, mas o sentimento é de tristeza e dor. Estamos em êxtase, como se fosse um pesadelo, sem acredita no que aconteceu”.
Moisés da Sercom, como era conhecido, foi encontrado por um chacareiro, numa estrada vicinal entre Miranorte e Rio dos Bois. Dentro do veículo, foi achado um revólver calibre 38, com uma munição deflagrada e cinco intactas. A Polícia Civil disse que não sabe de quem é a arma.
“Acho que o criminoso deixou a arma no local para despistar a polícia porque os dois celulares e a carteira dele desapareceram. Ele foi morto no banco do passageiro. Também recebemos uma informação de que ele estava sem uma das botas”, argumentou Fidel.
Moisés nasceu numa fazenda em Lizarda, mas a família é natural de Centenário, no Tocantins. Segundo o irmão, o sonho dele era ser contador. “A carreira política veio por incentivo das pessoas, já que ele ajudava as instituições e igrejas, através de ações sociais”.
Entenda
O prefeito foi enterrado na última sexta-feira (31). Centenas de moradores lotaram a missa e velório do gestor. Boa parte do comércio permaneceu fechado durante todo o dia, assim como escolas e órgãos públicos.
Moisés foi encontrado dentro da caminhonete dele em uma estrada vicinal e tinha marca de um tiro na cabeça. O irmão do gestor disse que fez contato com ele momentos antes do desaparecimento, na última quinta-feira (31), e que não sabia de nenhuma ameaça ao político.
“Não sabemos de nenhuma ameaça. A família não percebeu nada, nem que estivesse agitado naquele dia. Estava tranquilo, conversei com ele minutos antes dele desaparecer. Esperamos que a justiça seja feita, a de Deus e dos homens”, disse Costa.
Moisés era contador e passou a manhã em Miranorte, cidade vizinha, atendendo clientes. Por volta de 11h, deixou os dois funcionários do escritório de contabilidade dele, que o acompanhavam, em um posto de gasolina e foi para a prefeitura, onde se reuniu com o prefeito de Miranorte. Ele chegou a avisar que estava indo buscar os funcionários, mas não apareceu.
O vice-prefeito, Saulo Milhomem (PRTB), foi empossado oficialmente como prefeito da cidade, neste sábado (1º). A cerimônica foi realizada na Câmara de Vereadores. Saulo Milhomem tem 41 anos e é formado em educação física, em uma faculdade particular de Palmas. Exerceu o cargo de vereador em Miracema entre os anos de 2013 a 2016, quando foi eleito para o cargo de vice-prefeito.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Essa notícia saiu primeiro no Portal G1 Tocantins
Clique no link acima para saber mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *